30 de abr de 2010

Onde está a Alcione deles?


Outro dia meu grande amigo Tiago Marques me enviou pelo MSN um link de um blog, que não me lembro o endereço, onde o dono do blog questionava onde estaria a Beyoncé brasileira. No texto, o autor se questionava onde estariam as grandes divas negras do Brasil, e sugeria que todas as grandes cantoras brasileiras seriam brancas, existindo um preconceito racial velado na MPB, que não daria vez a cantoras negras, com exceção do mundo do samba.

Não concordo com essa visão por uma série de motivos. Acho mesmo que é uma coincidência o fato de que a maior parte das ditas "grandes" cantoras brasileiras sejam "brancas". Tudo muito entre aspas. Por que uma coincidência? Pelo simples fato de que no time masculino, uma imensa maioria dos grandes seja negro: Mílton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan, Luiz Melodia, Paulinho da Viola, Emílio Santiago, Jorge Ben, Tim Maia, Martinho da Vila, todos cantores de imenso sucesso em seus estilos, nomes do primeiríssimo time da MPB. Creio que se existisse um "racismo" na MPB, valeria também para os homens...

Na hora que li, imediatamente me perguntei: ué, e a Alcione??? No texto do blog a que me refiro, o blogueiro escreve que as principais cantoras americanas são negras, ao passo que no Brasil nos faltariam grandes cantoras negras. De fato, nomes como Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethânia, Marisa Monte, Zizi Possi são consideradas brancas (embora Bethânia com seus traços fortes e cabelos crespos e Gal com uma sutil mulatice brejeira não sejam tão brancas assim), mas não nos faltam cantoras negras: Elza Soares, Sandra de Sá, Alaíde Costa, Zezé Motta, Leci Brandão, Dona Ivone Lara, Jovelina Pérola Negra, Teresa Cristina, Fabiana Cozza, Margareth Menezes, Virgínia Rodrigues, Martnália e Alcione. Sim, meus amigos. Alcione, a Marrom. Como descartar Alcione numa lista de grandes cantoras do Brasil?

O que me espanta é um subtexto existente que meio que insinua que uma cantora de samba não pode ser considerada grande. Como se não fosse o samba o PRINCIPAL GÊNERO MUSICAL BRASILEIRO. Alcione, caso fosse americana, seguramente seria apontada como uma grande diva, assim como são as cantoras negras de jazz. Eu acho que o preconceito do brasileiro não é, no caso da música, de cor de pele, mas sim, com o nosso querido samba. A verdade é que se valoriza muito os gêneros musicais criados por americanos negros, como jazz, blues, soul - e o R&B feito por Beyoncé, enquanto até hoje o samba é visto como um estilo menor pelos próprios brasileiros.

Alcione tem voz, potência, afinação, estilo próprio, popularidade e prestígio, tudo o que uma cantora precisa pra ser chamada de grande. Alguns hão de questionar o repertório. Responderei: aonde o repertório de Beyoncé é melhor que o de Alcione? Em que? Em nada. De fato a partir de meados da década de 80 os discos de Alcione passaram a incorporar baladas sentimentais (bregas mesmo) que foram seus grandes sucessos à partir de então. Houve uma queda na qualidade das suas canções de maior sucesso. Porém quem escutar as músicas menos conhecidas desses discos vai ver que ali estarão escondidos grandes sambas. Isso sem contar com a primorosa primeira fase da carreira de Alcione, com discos excelentes e grandes músicas como "Não deixe o samba morrer", "Rio antigo", "Ilha de maré" e tantas outras. E Beyoncé? Qual é a música que ela gravou até o presente momento que possa ser apontada daqui a 30 anos como um clássico da música americana, como são "Sufoco" e "Menino sem juízo" para a música brasileira? Além do que, existe uma verdade em cada interpretação de Alcione para essas mesmas músicas bregas, como "Estranha loucura" e "Nem morta", que faz como que mesmo essas gravações demonstrem a grande intérprete que é Alcione. Alcione já declarou em várias entrevistas que sua maior influência foi a cantora Núbia Lafayette, intérprete de canções sentimentais de teor derramado muito semelhante a de músicas como "Ou ela ou eu", "O que é que eu faço amanhã" ou "A loba". Quando Alcione canta músicas ditas "bregas" não está mirando o sucesso fácil, está sendo fiel a sua formação musical. Ser verdadeira é mais uma das qualidades que fazem de Alcione uma grande cantora.

O que falta ao Brasil não é uma Beyoncé com produções extraordinárias, roupas, bailarinos, fogos de artífício e baladinhas pop. O que falta são brasileiros que valorizem o que tem. Ao invés de procurar Beyoncés por aqui, deveriam perguntar: onde está a Alcione deles?

2 comentários:

  1. O mito do miscigenação no Brasil passa uma venda nos olhos daqueles que não conseguem olhar para a hitória do Brasil como um país que cresceu com a cultura afrodescendente, inclusive na dita mpB. Os "deuses" e "deusas" do jazz americano eram ou são afrodescendetes e mudaram a música do mundo, inclusive a nossa tão cultuada mpB.

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras,disse tudo que penso sobre a MPB e sobre nossa eterna diva Marrom, Alcione, que por sinal, para mim, não é só uma das maiores cantoras brasileiras, e sim, uma das maiores cantoras mundiais!!

    ResponderExcluir