29 de abr de 2010

Gal



Já tem um bom tempo que criei o site www.cantorasdobrasil.com.br. Desde seu surgimento, o site já esteve hospedado em provedor gratuito, hoje tem domínio próprio, e, sozinho, vou fazendo uma coisinha aqui, outra ali, e o site vai crescendo aos pouquinhos. Não sei se o que faço tem alguma importância, mas geralmente fico feliz com o "feed-back" das pessoas.

Nada mais justo que abrir o blog falando da pessoa que motivou tudo isso: a cantora GAL COSTA.

Na época que o "cantorasdobrasil" começou a tomar forma eu trabalhava na feitura do site não oficial da Gal, o Verdadeira Baiana, que durante algum tempo foi um site importante para fãs da cantora. Enquanto pesquisava a carreira da Gal, eu ia colhendo biografias de outras cantoras, até que dei por conta que o que tinha coletado já era um outro site. Portanto devo agradecer à Gal por hoje ter um site que, pelo menos a mim, traz satisfação. Minha paixão por cantoras, mesmo não tendo se iniciado de todo com ela, se cristalizou por causa dela.

Quando criança eu era apaixonado por Rita Lee, Joanna e Alcione. Gal era uma cantora que eu admirava, mas em segundo plano, ao lado de Maria Bethânia, Elis Regina, Zizi Possi, Simone e tantas outras cantoras que fizeram enorme sucesso da década de 80.

Mas já adolescenete deu o clic e passei a colecionar os discos da Gal, que se tornou minha cantora preferida. Além de sua voz lindíssima, às vezes docemente suave, às vezes estridente e metálica, Gal sempre teve uma persona forte, uma imagem inconfundível. E todos os seus predicados como cantora, intérprete e artista a tornaram, ao meu ver, a cantora mais influente sobre as gerações seguintes de cantoras desde a Bossa-Nova. Sim, Nara, Elis e Bethânia foram e são definitivas. Mas foi Gal Costa quem mudou o parâmetro do que é ser cantora no Brasil. Foi Gal quem primeiro incorporou a mulher moderna ao que é ser cantora no Brasil. Sua sensualidade, seu repertório meio pop/rock na década de 60 e 70. Acredito mesmo que ela é a cantora mais perceptível na personalidade, repertório e estilo das cantoras que vieram depois: Baby Consuelo, Zizi Possi, Fafá de Belém, Elba Ramalho, Marina Lima, Ná Ozzetti, Vânia Bastos, Jussara Silveira, Vanessa da Mata, Marisa Monte, Cássia Eller, Rosa Passos, Belô Velloso, Daniela Mercury, Roberta Sá, cada uma dessas em maior ou menor medida têm uma herança forte da Gal, sem cair, claro, na armadilha da imitação pura e simples, até pelo fato de que Gal é inimitável. São reflexos de Gal sobre todas essas e mais outras.

Hoje em dia muito tem se criticado a Gal. Algumas críticas são completamente sem sentido, outras têm lá seu fundamento, mas uma coisa nunca é dita: Gal Costa tem uma obra, uma história. Já passou a muito tempo da fase do artista que precisa fazer algo novo para ser relevante. A relevância de Gal na história da MPB é definitiva e imutável. Gal está acima do bem e do mal. Meu bem, meu mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário